Escolha entre Fibra SingleMode (monomodo) e MultiMode (mutimodo)

Por 2 Março, 2021Notícias Tempo de leitura: 6 minutos

A escolha entre a colocação de fibra SingleMode ou Multimode, em muitos casos, pode ser uma decisão crítica para uma rede de comunicações de dados. Neste artigo, vamos ajudar a explicar e simplificar o que poderá surgir num projeto em torno da decisão do tipo de fibra a utilizar.

Ao decidir entre a fibra Singlemode e Multimode, aplicam-se alguns critérios. Por exemplo:

  • Qual é a largura de banda necessária na infraestrutura?
  • Qual é o eventual crescimento da rede?
  • Quais as distâncias na estrutura da rede?
  • Qual é o seu orçamento planeado para o projeto?
  • Quais são os fatores ambientais e estruturais no projeto?
  • Existência de planos de manutenção na infraestrutura de rede?
  • Qual é a finalidade e se está previsto na planificação do projeto?
Escolha entre Fibra SingleMode (monomodo) e MultiMode (mutimodo)

A Fibra SingleMode (OS1/OS2)

Ao comparar as tipologias da Fibra Ótica (SingleMode e Multimode) por analogia, é como fazer uma viagem de avião para longas distâncias e rapidamente. Com base em cálculos de desempenho de fibra (distâncias mínimas padrão), a fibra SingleMode também conhecida como Monomodo, pode ser usada em distâncias até 10 km por exemplo e para certos protocolos Ethernet. A fibra Multimode possui limitações de distância de transmissão de dados. A razão pela qual a Fibra Singlemode suporta a transmissão de longa distância é o pequeno núcleo da fibra que propaga um único modo de luz. A Fibra Multimode, a dispersão modal é um fator impactante que limita a distância.

A Fibra Singlemode utiliza (high-end lasers), em que os equipamentos ativos podem ser mais caros face aos que utilizam (LEDs e VCSELs no caso de fibra Multimode).

Claro que este tipo de fibra proporciona maior flexibilidade para o crescimento ou modificação futuras num projeto de rede. Além disso, a fibra Singlemode é utilizada nas infraestruturas de distribuição de rede nos operadores (PONs) Rede Óticas Passivas, onde a fibra Multimode nunca conseguirá assegurar comunicação. É sem dúvida uma forma mais eficiente de ganhar largura de banda e estabilidade de comunicação, enquanto que diminui os custos de implementação nas infraestruturas de rede atuais.

 

A Fibra MultiMode (OM1/OM2/OM3/OM4/OM5)

A fibra Multimodo alinha-se com a comunicação a curtas distâncias, podendo chegar de 300 a 2000mt e acaba por ser um meio de comunicação mais acessível dependendo também dos equipamentos ativos de rede. Amplamente utilizada na interligação de pisos nos edifícios ou áreas numa curta distância que nestes casos, é a melhor escolha.

Devemos salientar que, a fibra Multimodo possui um núcleo maior e menos sensível ao ambiente da instalação. Um ponto negativo fase à fibra Singlemode são as limitações de largura de banda e casso necessite de aumentar a taxa de comunicação entre os locais, estará limitado.

Tabela MultiMode

Cenários e Considerações de Custos

Um fator determinante na utilização da fibra Singlemode face à Multimode são os equipamentos ativos necessários num projeto. O Singlemode requer tecnologias laser mais sofisticadas para conseguir comunicar a longas distâncias que poderá aumentar o custo de um projeto. Os sistemas Multimodo, embora já possuam tecnologia Laser, LEDs e VCSELs, apresentam custos mais económicos uma vez que as distâncias são mais curtas, sendo uma solução mais viável para muitos dos cenários de rede.

Fibra vs Cobre e Latência

Fibra e Cobre (ethernet) são dois dos meios de transmissão de dados e haverá latência nestes dois meios de comunicação, mas há fatores importantes a considerar.

Latência na Fibra

Quando um sinal ótico viaja num troço de fibra, há cinco fatores importantes que vão influenciar este meio de comunicação. Os dois primeiros são criados quando o sinal é transformado do domínio elétrico para o ótico, quando esse mesmo sinal é transportado pela fibra e os dois últimos, quando sinal é convertido do domínio ótico para o elétrico.

Latência no Cobre

Face ao desempenho da Fibra, os troços de cobre estão limitados pelas normas ANSI/TIA/EIA-568-B.1, ISO/IEC 11801 que conferem os padrões de comunicação Ethernet até 100mt. Embora os cabos de cobre possuam revestimentos que os protegem, eles são afetados por interferência eletromagnética e a fibra ótica é imune a qualquer interferência elétrica e não há inferência entre sinais em cabos diferentes. Uma vez que os cabos de fibra ótica não conduzem eletricidade, a fibra torna-se num excelente meio de comunicação em ambientes de alta tensão, tais como instalações de com muitos troços de energia elétrica ou estruturas metálicas para comunicações propensas a conduzir eletricidade estática em ambientes industriais.

Como utilizar módulos SFP e Media Converters?

As características dos módulos SFP são semelhantes aos Media Converters. Os módulos SFP só funcionam quando estão ligados às portas dos Swictc SFP/SFP+. São usados principalmente nos Switch Core nas salas técnicas/bastidores, para interligar Swicth/Media Converters e em locais mais distantes.

Interfaces de Fibra Mais Comuns

A TP-Link possui soluções para os projetos que envolvem troços de Fibra Ótica nas mais variadíssimas áreas de projetos de rede. Apresentamos em baixo alguns projetos com a utilização dos produtos SMB TP-LINK.

 

O cenário abaixo ilustra um complexo industrial de logistica e Sistema de Videovigilância IP.

Sistema de Videovigilância

O cenário abaixo ilustra um complexo industrial com diversos pavilhões.

Desta forma, podemos considerar que existem boas razões para utilizar soluções de fibra simples e multi-modo. Tudo depende das suas aplicações de rede!

 

Por:

Carlos Costa

Pre-Sales Engineer / Networking Technical Support

TP-Link Portugal

Comentar artigo