Como escolher o modo de operação dos dispositivos TP-Link?

Por 6 Março, 2020Tutoriais e Dicas Tempo de leitura: 6 minutos

Como escolher o modo de operação dos dispositivos TP-Link?

Já reparou que existem diferentes modos de operação ao configurar alguns dispositivos multimodo TP-link, como o Access Point (AP, ou ponto de acesso) e router 3G/4G? Talvez os modos AP ou repetidor/bridge lhe sejam mais familiares, mas há outros modos igualmente úteis e que podem preencher aquela necessidade específica para ajudar a melhorar a sua configuração de rede. Nas próximas linhas, vamos mostrar-lhe como pode diferenciar estes modos em cenários específicos e fornecer-lhe instruções sobre como melhorar a estabilidade da rede.

Modo AP vs. Modo Repeater/Bridge (para extensão da rede Wi-Fi em casa)

Estes dois modos estão incluídos em muitos dispositivos TP-Link, mas são amplamente utilizados no AP. Vive num duplex ou vivenda? Se posicionar o seu único router no andar de baixo, a ligação à Internet normalmente cai quando sobe ao piso superior – isto acontece porque as paredes são sólidas e por isso bloqueiam a maior parte dos sinais, criando até zonas mortas nalgumas divisões (como nos quartos). Para resolver este problema, deverá colocar um ponto de acesso entre os seus dispositivos e o router e fazer com que este “retransmita” o seu sinal Wi-Fi. Estes dois modos podem ser usados precisamente para o conseguir.

Com o modo Access Point ativado, o dispositivo na qualidade de ponto de acesso pode ligar-se a uma fonte de Internet via cabo. Este cabo garantirá que obtém as melhores velocidades possíveis entre o ponto de acesso e o router “raiz”. O uso do modo Access Point é ideal se algumas divisões estiverem já providas de portas Ethernet provenientes de um cabo principal. Por exemplo, poderá assim simplesmente ligar o seu ponto de acesso ao router principal por cabo através da porta Ethernet disponível no seu quarto.

Já o modo Repeater/Bridge (repetidor/ponte) desempenha a mesma função que o modo AP, mas faz com que o ponto de acesso se ligue ao ponto de acesso raiz – ou router sem fios. Este modo permite assim que o AP copie diretamente o SSID e a palavra-passe do router ou ponto de acesso raiz. Trata-se de uma ótima opção caso não existam portas Ethernet disponíveis em sua casa, ou quando o ponto de acesso estiver muito longe para se ligar ao router via cabo.

Quando definir o seu AP para trabalhar em modo repetidor/ponte, deve colocá-lo num ponto onde o sinal do router Wi-Fi não seja fraco – e não numa zona “morta” e sem cobertura real. Está a ver aquela estante ou armário que tem no andar de baixo e que ficam mais perto do teto? É a melhor opção para tentar estender a cobertura Wi-Fi até ao andar de cima.

Modo Client (acesso à rede sem fios)

O modo Client (cliente) permite que o AP funcione como um adaptador sem fios para receber precisamente o sinal wireless da sua rede sem fios. Se, por exemplo, o seu computador e a sua Smart TV não conseguirem receber sinal Wi-Fi por estarem muito longe do router principal, poderá ligar o seu dispositivo ao ponto de acesso em modo cliente e assim obter a conexão wireless à sua rede doméstica.

Modo Multi-SSID (para várias redes)

O modo Multi-SSID permite ao AP criar várias redes para diferentes grupos de pessoas. Se por exemplo a sua empresa tiver quatro departamentos (Recursos Humanos, Vendas, Compras e I&D), recomenda-se que cada um tenha diferentes níveis de acesso à Internet e permissões para usar e aceder apenas aos próprios recursos relacionados – este objetivo pode ser atingido usando um ponto de acesso no modo Multi-SSID e um switch. Antes de usar o AP para criar vários SSIDs, deve configurar VLANs com diferentes níveis de acesso e permissões no switch.

Pode atribuir uma VLAN a cada SSID. Após ligar-se respetivamente ao SSID 1, 2, 3, 4, os quatro departamentos passam a ter acesso à Internet e a pertencer a redes VLAN diferentes (RH-VLAN1, Vendas-VLAN2, Compras-VLAN3 e I&D-VLAN4). Por exemplo, a equipa do departamento de RH terá autorização de acesso para visitar os recursos do departamento de RH quando se ligar ao SSID 1. Por outro lado, pode configurar e personalizar diferentes tipos de segurança para diferentes SSIDs.

Modo de router 3G/4G (para expansão da rede ISP)

No modo router 3G/4G, e com um modem/cartão 3G/4G, o router pode entrar numa rede 3G/4G e servir como um hub central sem fios para transmitir o respetivo SSID. Desta forma, outros dispositivos poderão partilhar a rede 3G/4G sem fios – o que é bastante útil quando não existem disponibilidade de opções de Internet com ou sem fios, especialmente quando está em viagem pelo estrangeiro.

Modo Wireless Router (para partilha doméstica da Internet)

Alguns dispositivos podem funcionar como routers sem fios se desejar partilhar uma ligação à Internet fixa com os seus amigos e familiares. Os routers 3G/4G têm uma porta WAN lateral que suporta vários tipos de ligação, nomeadamente PPPoE/IP dinâmico/IP estático.

Modo WISP (para partilha da Internet com utilizador)

WISP significa Wireless Internet Service Provider. Se o seu router não conseguir obter fisicamente um link fixo normal para o ISP, este modo WISP permitirá ao dispositivo atuar como uma porta WAN para se ligar a um ponto de acesso Wi-Fi remoto e configurar a sua própria rede sem fios nalgumas áreas públicas, nomeadamente escritórios, bares ou restaurantes. De seguida, poderá partilhar a ligação à Internet com os seus dispositivos via Wi-Fi e Ethernet.

Com o modo WISP, pode definir a sua própria rede com maior facilidade e rapidez, sobretudo quando a rede pública não está encriptada.

Comentar artigo